Ozualdo Candeias

Candeias se foi. Curioso ter passado no Jornal Nacional, porque foi um cineasta maldito, à margem dos marginais, pouquíssimo conhecido. Para mim, um dos maiores cineastas brasileiros. Ou melhor, sendo mais preciso, foi o cineasta brasileiro que mais me marcou pessoalmente, especialmente com dois filmes  - A Margem e Aopção (junto mesmo, o “a” como partícula de negação). Depois, quero falar mais sobre Candeias. Ele foi muito mal compreendido, visto como primitivo, mas seu cinema nada tem de primitivo, e sim de selvagem, cru, brutal. Os planos-ponto-de-vista em A Margem já mostram um total domínio da gramática cinematográfica. A Margem é um filme muito bonito, de pessoas que lutam por um poesia mesmo que o mundo não responda a isso, não importa, por isso é um filme absolutamente subversivo e libertário. É um filme místico e mágico, supostamente ingênuo mas muito maduro. Para mim é um modelo do cinema brasileiro possível, porque é um filme que fala demais sobre o Brasil. Já Aopção é um dos filmes mais duros do cinema brasileiro. Um filme doloroso. É quase o contrário de A Margem: um filme sobre um país que não deu certo, sobre um processo massacrante, uma via-crúcis do ser que acaba em miséria, em desgraça, em exclusão. Eu escrevi sobre Candeias, tentei organizar uma Mostra sobre ele, mas o Puppo chegou primeiro e fez muito melhor do que eu teria feito, porque entre outras coisas eu faço outras coisas da minha vida. Enfim depois eu falo mais. Agora vou ver Copacabana Mon Amour.

 

Antônia ser lançado com 130 cópias é um exagero. Num bolão aqui no trabalho, chutei 480 mil espectadores. O filme é bom, acho que vou retomar algumas coisas a mais sobre ele, embora eu já tenha escrito quase tudo mas não sei se fui claro. Apesar de eu não gostar dele como pessoa, o crítico do Globo escreveu uma coisa bonita sobre o filme: a possibilidade da criação num mundo opressor. Retomo isso nos próximos dias, se os blocos da folia permitirem.

Comentários

Muriel disse…
Caro Ikeda, li um artigo de Luiz Rosemberg sobre o teu trabalho e fiquei muito interessado. Como posso assistir aos teus filmes?

Um abraço!
Cinecasulófilo disse…
oi muriel (heh): me passa o teu email q eu mando um email.
Anônimo disse…
murielp@terra.com.br

aguardo o teu contato! abç!

Postagens mais visitadas