(terceiro poema sobre as varandas; meu teclado esta sem acentos)

A brisa

Na varanda
apoio os cotovelos sobre o umbral
junto os ombros
e acomodo o queixo
na palma das maos

Inspiro
e espero
a brisa passar
e levar os meus sonhos

Espero
e expiro

A brisa nao chega
mas traz a chuva
e corro da varanda
e fecho as janelas
para dentro de mim

ate que o vendaval
de lugar ao arco-iris

Comentários

ricardo disse…
tua alma é japonesa. eu li mais que um poema aqui. eu li um conjunto de haikais muito bem "montados". gostei.

Postagens mais visitadas