(FESTRIO) Seven Swords

Seven Swords
De Tsui Hark
São Luiz sab 1 out 21:30
½

Seven Swords, o primeiro filme de Tsui Hark que vi, é uma espécie de O Senhor dos Anéis de Hong Kong. Ou seja, é um filme de encomenda, um blockbuster oriental, exatamente como um filme americano, no uso da linguagem, no uso impressionante da técnica nas seqüências de ação. Muito bem filmado, com uma fotografia e uso da câmera impressionante num vigoroso cinemascope, Seven Swords é o cinema que já vimos tantas e tantas vezes, é o clichê do cinema de artes marciais: os invencíveis sete samurais, que representam o bem e a virtude, vão atrás de um sanguinário exterminador. Com isso, tudo no filme já parece dado de antemão: o único atributo do filme é a apresentação das seqüências de ação. Com isso, tenta impressionar o espectador, como se o cinema, nesse início de século, ainda fosse o “cinema de impressão” como o dos Irmãos Lumière ou de Meliès. Ou seja, se às vezes encanta a habilidade com que Tsui Hark maneja esse “grande parque de diversões” que é o cinema, cinco minutos depois percebemos que é um encanto meramente pueril, porque se revela oco, vazio, cansativo. Não há espaço para o cinema em Seven Swords e, como não vi os demais filmes do diretor, imagino que seja um projeto de encomenda, um grande blobkbuster em que o potencial criativo anárquico do diretor está escondido. Se esse for o típico cinema de Tsui Hark, por favor, alguém me avise para que eu possa poupar meu tempo e meu dinheiro, pois minha praia é outra.

Comentários

dani disse…
ikeda, aqui é a dani. hoje no cinema nós comentamos sobre o nome do filme. e acabei de descobrir com o meu avô o seguinte: você estava certo, é uma citação da bíblia "eli, ali, lama ...". Foi o Rei David quem disse. Depois, quando Cristo estava sendo crucificado, ele também se lamentou : "eli, eli, lama ...". esclareceu alguma coisa?
Cinecasulófilo disse…
oi Dani, seja bem vinda ao blog. Legal vc ter descoberto a citação. Claro que esclarece muita coisa: a de que o filme é caseado na DÚVIDA, já que o dizer é um dos mais ambíguos da bíblia, que é quando Jesus na cruz pode parecer duvidar de seu destino. Outra: esclarece de vez por todas que Aoyama está interessado numa religiosidade, ou pelo menos sobre a ausência de transcendência da vida, ou sobre a miserabilidade da condição humana, ou sobre a falta de uma resposta decisiva sobre o mistério da vida. A se pensar... Por fim, você é a Dani Schwjetkdsrsn de nome impronunciável do site dos gêmeos?

Postagens mais visitadas