os críticos são cruéis e verdadeiros

Como os críticos podem ser cruéis mas verdadeiros em seu ofício
Dou destaque ao último parágrafo, vou escrever mais sobre isso.
O texto é de João Carlos Sampaio - jornal A Tarde, Salvador, BA.

"O problema é que esse Gaijin (termo nipônico que significa estrangeiro) está forjado sobre bases muito superficiais para falar de temas densos. Concluído após muitas interrupções e dificuldades, que acabaram por resultar num orçamento muito alto para os padrões do cinema brasileiro, o filme derrapa de forma bisonha na dramaturgia, que vai piorando até o esdrúxulo terço final.

Os diálogos são muito fracos, assim como a média geral das performances do elenco, que inclui Tamlyn Tomita, Nobu McCarthy, Kyoko Tsukamoto, Luís Melo, Zezé Polessa, Louise Cardoso, Mariana Ximenes e a presença do intérprete cubano Jorge Perrugoría (de Morango e Chocolate). Por sinal, a opção pela dublagem em português para o personagem do ator é talvez a mais desacertada dentre todas as equivocadas decisões dos realizadores.

Tirando o conjunto de boas intenções que fizeram Tizuka Yamazaki se lançar nesse que é o projeto de sua vida, sobra quase nada para esse filme, com pouquíssimas chances de agradar a qualquer faixa de público."

Comentários

Rodrigo disse…
E olha que esse filme foi o grande vencedor de Gramado!!!

Quem é que está por trás dos nossos festivais hein???

é desanimador... (por isso, não acredite mto qndo seus filmes forem para festivais brasileiros)...

Postagens mais visitadas