Beagá

Esse final de semana foi muito proveitoso, quando fui conhecer a cidade de BH e em especial o Festival de Curtas de lá. Sair do Rio foi para mim uma necessidade, eu que atualmente venho pensando, pela primeira vez, que o Rio talvez não seja a “cidade dos sonhos” onde eu quero morar para o resto da minha vida (na verdade isso para mim está cada vez mais claro). Visitar a cidade, estar em contato com o outro, ter o dia totalmente livre para vagar ao léu, foram lições muito vitais para mim, especialmente nessa época pós-concurso. Então eu fui desesperado para “chutar o balde”, mas isso não foi possível, pois os mineiros são mais reservados que os cariocas...

Sobre o Festival de Curtas: o Festival é super bem organizado e com uma curadoria séria (o que é cada vez mais raro nos Festivais Nacionais). Filmes radicais e de qualidade como O Irreconhecível e Trânsito por Dora conseguiram ser selecionados para lá, o que é fantástico. Fui tbem super bem recepcionado pela ultra-atenciosa Thaís Puntel (um anjo de pessoa), pelos coordenadores Márcia e Geraldo (com quem conversei por horas...), comi um macarrão divino na sensacional casa do Daniel (outra recepção calorosa), e tive a satisfação de conhecer o Helvécio, grande figura que conseguiu superar todas as enormes expectativas que já havia depositado em conhecê-lo. Troquei mais idéias com o Aleques e com o Marco Dutra, outra superfigura. Andar na companhia do Marcus Vinícius também foi uma satisfação, muito gente boa, e a viagem de volta foi uma aventura!!!!!!! Fiquei tbem apaixonado (literalmente) pelo jeito meigo de outra realizadora mineira, que a minha timidez impede de revelar (oh!) (pena que não pude trocar mais idéias com ela, mas nem tudo é perfeito, né? fica pra próxima...). Ah, e, claro, ir ao Festival acompanhado do Guilherme é sensacional, porque lá ele conhece tanta gente que parece estar em casa!!!

Comprei duas peças sacras enormes na famosa pracinha em frente ao hotel (para começar a pagar os meus pecados...). Tbem visitei o formoso parque em frente ao hotel, o Parque Municipal. Extraordinário o parque! Grande impressão fez em mim! Filmei as criancinhas no parque de diversões, no cavalinho, na roda gigante, etc para um novo trabalho ao estilo de Jonas Mekas, vamos ver no que pode dar! Vi um show dos tambores de Minas bem interessante lá no Palácio das Artes! Foi cheio de diversões light essa estada de Minas. Não me embriaguei como gostaria, mas enfim a volta ao Rio está aí para isso!!!

Ah, e espero ano que vem estar lá, desta vez com O POSTO!

Comentários

Anônimo disse…
o rio pra mimtem muito pouco de cidade dos sonhos, mas ao mesmo tempo é muito difícil se desligar dessa cidade. e toda vez que eu passo pela lagoa eu me sinto privilegiado. engraçado você estar querendo fazer um filme meio jonas mekas, eu e o luiz também estamos pensando num filme com base no mekas, mas isso não me preocupa já que os nossos filmes sempre tiveram muito em comum e ao mesmo tempo uma distância enorme. quando terminar quero ver e ainda quero ver o "em casa". se vc tiver uma cópia em dvd ou em vhs como o som já pronto me avisa.
abs ricardo
Moacy disse…
Belzonte realmente é uma cidade especial. Na verdade, são muitas as cidades que podem ser especiais, mas são poucas as cidades que nos envolvem amorosamente. Um abraço.
felipe nobrega disse…
Falando em festival tá rolando no RS o de GRAMADO , tem ua baita vontade de conhecer, ams falta dinheiro e férias para isso
abraço!
apareça!
tenho que visitar ser site!!!!

Postagens mais visitadas