de longe...

Herbert de Perto

de Roberto Berliner e Pedro Bronz

É Tudo Verdade, Cinesesc 28março 21hs

*

 

Herbert de Perto é um produto feito para televisão, produzido pelo canal A&E para sua série Biography. Tendo isto em vista, é um filme competente, um produto acima da média para um doc de televisão. Mas quando os diretores querem ampliar a duração do produto para tentarem exibir nos cinemas, e o exibem em primeira exibição num festival de cinema documental, aí já mudamos de idéia. O material é riquíssimo: a história de vida de Herbert Vianna é fantástica e Roberto Berliner é talvez a pessoa que melhor pudesse fazer esse filme, dado seu envolvimento – pessoal e profissional – com o protagonista (além de grandes amigos pessoais, Berliner fez os primeiros clipes dos Paralamas nos anos oitenta). Dado o potencial do material, o filme fracassa, simplesmente porque não tem um olhar sobre ele: é apenas um conjunto de imagens, de “momentos legais”, colocados juntos, sendo que isso, obviamente, passa ao largo de ser uma montagem de um projeto de cinema, em que o que vai ser selecionado é definido com uma visão de conjunto e uma idéia de ritmo. Dessa forma, o filme perde todo o seu interesse. O filme poderia ter duas opções: primeiro, acompanhar a trajetória do conjunto em ordem cronológica, para que o espectador que não sabe do acidente possa se surpreender com o impacto dramático do final, como uma reviravolta narrativa (tipo Ônibus 174), ou, segundo, assumir a tragédia desde o início, e ser um filme sobre Herbert reassumindo uma memória, e ser então um filme sobre a memória, e o papel da música e da afetividade (a união do conjunto) na busca por essa memória e por um “sentido de viver”. Mas os diretores Berliner e Bronz pensam muito pequeno, e no que poderia ser o filme de suas vidas, fazem de Herbert de Perto um produto para televisão simples, correto, mas sem brilho.

 

Comentários

Falou e disse (notável é o desperdício da história entre Herbert e a esposa dele - pouco explorada pra ganhar algum valor).

Quanto aos filmes do Linklater eu não poderia discordar mais, hehe.
Anônimo disse…
as garotas do leblon não olham mais pra mim sou paraplégico.

Postagens mais visitadas