A L'Aventure

A L'Aventure
de Jean-Claude Brisseau
**


Estamos diante de um novo filme de Brisseau, e algo muito estranho invade nossas retinas e nossas almas (Brisseau é um dos poucos cineastas de hoje que mesmo fazendo trabalhos menores, indiscutivelmente mexe conosco, mesmo com aqueles que sabem que tudo faz parte do universo de um filme, isto é, que sabe que são efeitos cuidadosamente orquestrados para marcar essa impressão em nós, mas mesmo assim não resistimos diante do poder sedutor de suas imagens e de suas palavras), algo estranho, algo misterioso, algo secreto, algo sórdido. Ligeiramente nos envergonhamos do certo prazer que esse sentimento dúbio nos invade, e os filmes recentes de Brisseau falam exatamente disso: dessa perversão e desse prazer em observar pessoas que observam outras, e ao observar outras observam a si mesmas. É muito curioso como especialmente em Os Anjos Exterminadores e nesse A L'Aventure Brisseau fica num meio caminho entre um sábio místico e um grande charlatão oportunista. Bom, recuando um pouco, é preciso dizer que A L'Aventure, como típico filme de Brisseau, combina sexo com poder, quer arremessar na cara do espectador sem meios tons a possibilidade de viver em liberdade desfiando na tela supostos tabus, e como o sexo desperta fios íntimos do corpo e da alma, e como viver em liberdade plena é impossível, é nos aproximar do suicídio e da loucura (sem falar na marginalidade), ou ainda, como a sociedade irá reprimir com violência a possibilidade de vivermos em liberdade, de não sermos domesticados, de vivermos de forma plena. Ao mesmo tempo em que dá continuidade a esses temas, em A L'Aventure Brisseau caminha para uma depuração de um estilo, e nesse ponto avança ainda mais que seu filme anterior. Falso pornô soft filmado com uma decupagem simples, falso charlatanismo, como a própria hipnose nos parece apontar (antes o cinema, agora a hipnose), falsa filosofia de botequim (ou melhor, de “banco de praça”). Filme de falsas aparências, filme sobre a possibilidade do êxtase num mundo materialista (ou esse êxtase seria apenas loucura?). De qualquer forma, ainda sem o brilhantismo de Coisas Secretas, A L'Aventure é coerente com o caminho de Brisseau: um pouco deja vu, um pouco falado demais, mas de qualquer forma coerente.

Comentários

Dry disse…
queria encontrar a legenda!
ja baixei o filme...
Anônimo disse…
Preciso de ajuda ... Onde posso baixar o filme e a legenda? Obrigado

Postagens mais visitadas